s√°bado, dezembro 9, 2023
In√≠cio ¬Ľ Rede p√ļblica vacina pacientes em condi√ß√Ķes cl√≠nicas especiais contra HPV

Rede p√ļblica vacina pacientes em condi√ß√Ķes cl√≠nicas especiais contra HPV

A√ß√£o tamb√©m imuniza crian√ßas e adolescentes; no p√ļblico infantojuvenil, ades√£o √© menor entre os meninos

por Ayrton Lemos
0 Coment√°rio

A vacina√ß√£o √© o meio mais seguro e eficaz de se prevenir contra a infec√ß√£o do papilomav√≠rus humano (HPV). A rede p√ļblica de sa√ļde do Distrito Federal atua conforme as diretrizes do Programa Nacional de Imuniza√ß√Ķes (PNI) para imunizar a popula√ß√£o. Crian√ßas e pr√©-adolescentes de 9 a 14 anos seguem o esquema de duas doses e intervalo recomendado de seis meses entre a primeira e a segunda administra√ß√£o da vacina.

No DF, a cobertura vacinal entre as meninas √© maior que no p√ļblico masculino. De acordo com a gerente da Rede de Frio da Secretaria de Sa√ļde (SES), Tereza Pereira, desde o in√≠cio de 2023, a cobertura vacinal da segunda dose foi administrada em 56,6% das meninas e somente em 25,6% dos meninos. Ela alerta para a import√Ęncia da administra√ß√£o das doses: ‚ÄúA vacina tem o potencial de prevenir casos de c√Ęncer relacionados ao v√≠rus e pode reduzir a ocorr√™ncia de verrugas genitais e les√Ķes pr√©-cancerosas no p√™nis, √Ęnus, vulva e vagina‚ÄĚ.

A vacina fica ainda mais importante porque, na maioria dos casos, os portadores de HPV n√£o apresentam nenhum sintoma | Foto: Tony Winston/ Ag√™ncia Sa√ļde

A enfermeira Ligiane Seles, 46, j√° tem o h√°bito de manter atualizado o cart√£o de vacina do filho, Caio Seles, 15. O adolescente tomou as duas doses contra o HPV. ‚ÄúA primeira foi aplicada quando ele tinha 12 anos, no primeiro semestre de 2020, e a segunda dose, com 13 anos. A √ļnica coisa que ele relatou foi dor no local da aplica√ß√£o, e n√£o teve nenhuma rea√ß√£o ap√≥s a vacina√ß√£o‚ÄĚ, conta.

Homens e mulheres de 9 a 45 anos que possuem o HIV/Aids, indiv√≠duos transplantados de √≥rg√£os ou medula √≥ssea, pacientes oncol√≥gicos ou imunossuprimidos tamb√©m devem ser imunizados. Nesses casos, √© necess√°ria a prescri√ß√£o m√©dica para a aplica√ß√£o da vacina na rede p√ļblica. Para essas pessoas, o esquema vacinal ser√° de tr√™s doses, e o intervalo m√≠nimo entre a primeira e a segunda √© de 30 dias. J√° entre a segunda e a terceira dose, √© de 90 dias. O imunizante √© contraindicado para gestantes e al√©rgicos aos componentes da vacina.

Onde tomar a vacina?

‚ÄúO contato genital, pele a pele, √© um modo de transmiss√£o reconhecido. √Č importante que as mulheres fa√ßam o exame Papanicolau regularmente, pois ele permite identificar les√Ķes precursoras do c√Ęncer do colo do √ļtero‚ÄĚFabyanne Borges, ginecologista da SES

Para auxiliar na preven√ß√£o, a SES oferece a vacina quadrivalente, que protege contra os v√≠rus dos tipos 6, 11, 16 e 18, para meninos e meninas de 9 a 14 anos, em todas as unidades b√°sicas de sa√ļde (UBSs) da capital. A lista dos locais de vacina est√° dispon√≠vel aqui.

Os indiv√≠duos que fazem parte do grupo de imunobiol√≥gicos especiais ser√£o vacinados nas unidades do Centro de Refer√™ncia de Imunobiol√≥gicos Especiais (Crie), distribu√≠das entre Hospital Regional da Asa Norte (Hran), Hospital Regional da Ceil√Ęndia (HRC), Hospital Regional do Gama (HRG), Hospital Materno Infantil de Bras√≠lia (Hmib), Hospital Regional de Planaltina (HRP) e Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

HPV

No DF, a cobertura vacinal contra o HPV entre as meninas √© maior que no p√ļblico masculino | Foto: Arquivo/Ag√™ncia Sa√ļde

O HPV √© uma infec√ß√£o sexualmente transmiss√≠vel (IST). Trata-se de um v√≠rus capaz de infectar tanto a pele quanto a mucosa oral, genital e anal de homens e mulheres, provocando verrugas ou les√Ķes que podem evoluir para um c√Ęncer, como de colo do √ļtero, vulva, vagina, √Ęnus, p√™nis e orofaringe.

A principal forma de transmiss√£o desse v√≠rus ocorre por meio de rela√ß√Ķes sexuais, mas tamb√©m pode haver o cont√°gio sem penetra√ß√£o desprotegida, como explica a ginecologista Fabyanne Borges, da SES. ‚ÄúO contato genital, pele a pele, √© um modo de transmiss√£o reconhecido. √Č importante que as mulheres fa√ßam o exame Papanicolau regularmente, pois ele permite identificar les√Ķes precursoras do c√Ęncer do colo do √ļtero‚ÄĚ, alerta.

A m√©dica afirma ainda que, na maioria dos casos, os portadores de HPV n√£o apresentam nenhum sintoma, mas podem infectar outros indiv√≠duos. Segundo a profissional, a baixa imunidade pode provocar a multiplica√ß√£o do v√≠rus e, consequentemente, o aparecimento de les√Ķes. Segundo o Minist√©rio da Sa√ļde, as primeiras manifesta√ß√Ķes do HPV surgem entre, aproximadamente, dois e oito meses, mas pode demorar at√© 20 anos para aparecer algum sinal da infec√ß√£o.

*Com informa√ß√Ķes da Secretaria de Sa√ļde

você pode gostar

Deixe um coment√°rio

Portal de Notícias 

Saiu no DF, Saiu aqui.

Escolhas dos editores

Artigos Mais Recentes