segunda-feira, dezembro 11, 2023
In√≠cio ¬Ľ Voo Rio-Paris: MP franc√™s recorre de decis√£o que inocentou Airbus e Air France

Voo Rio-Paris: MP francês recorre de decisão que inocentou Airbus e Air France

Voo que saiu do Rio com destino a Paris caiu em 1¬ļ de junho de 2009 e matou 228 pessoas. Justi√ßa absolveu a√©reas por "falta de causalidade"

por Ricardo Souza
0 Coment√°rio

O Minist√©rio P√ļblico de Paris, na Fran√ßa, informou, nesta quinta-feira (27/4), ter entrado com recurso contra a decis√£o judicial que inocentou a Airbus e a Air France da acusa√ß√£o de ‚Äúhomic√≠dio involunt√°rio‚ÄĚ no caso do acidente com o voo AF447 Rio-Paris. A queda do avi√£o, em 2009, resultou na morte de 228 pessoas ‚ÄĒ entre elas 58 brasileiros.

Em 17 de abril, a Justi√ßa francesa absolveu as duas companhias sob alega√ß√£o de que, apesar de as empresas cometerem ‚Äúfalhas‚ÄĚ, n√£o foi poss√≠vel demonstrar rela√ß√£o de causalidade com o acidente. Ou seja, o tribunal entendeu que n√£o √© poss√≠vel garantir que um problema t√©cnico provocou a queda da aeronave.

O avi√£o caiu no Oceano Atl√Ęntico em 1¬ļ de junho de 2009, ap√≥s passar por uma turbul√™ncia severa. A trag√©dia vitimou 228 pessoas ‚ÄĒ eram 216 passageiros e 12 tripulantes. Essa foi a ocorr√™ncia que mais causou mortes na hist√≥ria da avia√ß√£o francesa.

Falhas nos sensores

Em 2011, investigadores franceses, com base em uma busca com submarinos, afirmaram que os pilotos responderam ‚Äúcom falha‚ÄĚ a um problema envolvendo sensores de velocidade congelados.

As caixas-pretas confirmaram que o acidente aconteceu em decorr√™ncia do congelamento das sondas, quando o avi√£o estava em voo de cruzeiro em uma zona com condi√ß√Ķes meteorol√≥gicas diversas. O problema fez com que os aparelhos relatassem informa√ß√Ķes de altitude de forma incorreta, o que levou os pilotos a perderem o controle da aeronave.

Investiga√ß√Ķes relataram que danos parecidos nos sensores aconteceram antes do acidente, o que levantou questionamentos sobre o papel das empresas no ocorrido.

Ao anunciar o veredito, o juiz do tribunal criminal de Paris listou v√°rios atos de neglig√™ncia de ambas as empresas, mas entendeu que eles ficaram ‚Äúaqu√©m da certeza necess√°ria para estabelecer responsabilidade firme pelo pior desastre a√©reo‚ÄĚ.

Entenda

Na madrugada de 1¬ļ de junho de 2009, o avi√£o AF447 caiu no Oceano Atl√Ęntico, quase quatro horas ap√≥s decolar do Rio de Janeiro. Todas as 228 pessoas que estavam a bordo morreram, entre passageiros e tripulantes.

As duas empresas negam qualquer falha. Embora os juízes de instrução tenham arquivado o caso em 2019, os familiares das vítimas e os sindicatos dos pilotos recorreram e, em maio de 2021, os tribunais enviaram as duas empresas a julgamento por homicídio doloso.

você pode gostar

Deixe um coment√°rio

Portal de Notícias 

Saiu no DF, Saiu aqui.

Escolhas dos editores

Artigos Mais Recentes