quarta-feira, dezembro 6, 2023
In√≠cio ¬Ľ Aumento de oferta de hemodi√°lise vai liberar leitos na rede p√ļblica

Aumento de oferta de hemodi√°lise vai liberar leitos na rede p√ļblica

Secretaria de Sa√ļde vai complementar investimentos do Sistema √önico de Sa√ļde e permitir que pacientes internados possam fazer tratamentos em cl√≠nicas privadas

por Ricardo Souza
0 Coment√°rio

A Secretaria de Sa√ļde do Distrito Federal vai ampliar a oferta de vagas para sess√Ķes de hemodi√°lise em cl√≠nicas da rede privada, por meio de contratos de presta√ß√£o de servi√ßo. A expectativa √© zerar a lista de espera entre os pacientes em tratamento cont√≠nuo, neste momento com aproximadamente 130 nomes, e liberar leitos de enfermaria e de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ocupados unicamente para a realiza√ß√£o do procedimento. A amplia√ß√£o dos atendimentos deve ocorrer a partir de abril.

A gerente de Servi√ßos de Interna√ß√£o da Secretaria de Sa√ļde, Raquel Mesquita, detalha que o hospitais regionais de Sobradinho e de Taguatinga, al√©m do Hospital de Base e do Hospital Universit√°rio de Bras√≠lia, t√™m como foco realizar a hemodi√°lise dos pacientes com condi√ß√Ķes renais cr√≠ticas ou que estejam internados por outros motivos. Atualmente, por√©m, 45 leitos est√£o ocupados por falta de hor√°rios nas sete cl√≠nicas contratadas para o atendimento de pacientes cr√īnicos que precisam de hemodi√°lise regularmente. ‚ÄúN√≥s temos pacientes que est√£o ocupando vaga e que n√£o t√™m alta por causa da di√°lise‚ÄĚ, explica Raquel Mesquita.

‚ÄúN√≥s precisamos deixar nos leitos quem realmente precisa e desatar esses n√≥s das situa√ß√Ķes que levavam aos pacientes ficarem nos hospitais‚ÄĚLucilene Flor√™ncio, secret√°ria de Sa√ļde

De acordo com a secret√°ria de Sa√ļde, Lucilene Flor√™ncio, com a amplia√ß√£o da oferta contratada na rede privada, ser√° poss√≠vel encaminhar esses pacientes para tratamento com hor√°rio marcado. Isso vai permitir ter alta hospitalar e seguir uma rotina mais pr√≥xima da normalidade, como estudo, trabalho e outros cuidados com a sa√ļde, al√©m da presen√ßa constante da fam√≠lia. ‚ÄúN√≥s damos aos pacientes que est√£o hoje em UTI a possibilidade e o conforto de poder estar em casa e irem √†s cl√≠nicas fazer hemodi√°lise. N√£o h√° um lugar melhor para se estar do que na sua pr√≥pria casa‚ÄĚ, afirma a gestora.

Lucilene Flor√™ncio destaca tamb√©m a import√Ęncia da libera√ß√£o de leitos nos hospitais para pacientes em condi√ß√Ķes cl√≠nicas graves. ‚ÄúN√≥s precisamos deixar nos leitos quem realmente precisa e desatar esses n√≥s das situa√ß√Ķes que levavam aos pacientes ficarem nos hospitais, nas UTIs, √† espera de um servi√ßo que n√£o tinha resolu√ß√£o, como √© o caso da hemodi√°lise‚ÄĚ, acrescenta. A mudan√ßa da forma de atendimento tamb√©m deve significar economia, j√° que uma di√°ria em um leito de terapia intensiva custa at√© R$ 5 mil, muito mais que o necess√°rio para um procedimento rotineiro de hemodi√°lise.

Atualização de valores

O aumento da oferta de servi√ßos de hemodi√°lise ser√° realizado por meio da complementaridade dos valores previstos inicialmente no edital de credenciamento para empresas privadas, v√°lido desde 2020. ‚ÄúA tabela vai ser atualizada com os valores de mercado, tornando o contrato atrativo para as empresas‚ÄĚ, explica a subsecret√°ria de Administra√ß√£o Geral, Gl√°ucia da Silveira.

A Tabela Regionalizada para Complementariedade de financiamento do SUS também prevê aumento de repasses para outros procedimentos a serem realizados por empresas privadas, como o implante do cateter necessário para a hemodiálise.

Antes de elaborar a proposta, a Secretaria de Sa√ļde realizou uma pesquisa de mercado para conhecer os valores atualmente praticados na rede privada e constatou que o Distrito Federal era uma das √ļnicas unidades federativas que ainda trabalhava exclusivamente com os valores previstos na tabela do SUS. Isso fez com que houvesse, inclusive, uma redu√ß√£o do n√ļmero de hemodi√°lises: foram 186.399 procedimentos em 2020, 183.378 em 2021 e 173.075 em 2022. ‚ÄúA atualiza√ß√£o do valor era um pedido das empresas porque a tabela do SUS para realiza√ß√£o de uma sess√£o de hemodi√°lise n√£o atende nem aos custos‚ÄĚ, complementa a subsecret√°ria.

O Distrito Federal registra anualmente cerca de 2.280 pessoas que se submetem a diálise, seja hemodiálise ou pelo método peritoneal. De acordo com o censo da Sociedade Brasileira de Nefrologia, por aqui são 737 pacientes por milhão de habitantes com necessidade do procedimento, a quinta maior incidência no Brasil

A Tabela Regionalizada para Complementariedade de Financiamento do SUS foi aprovada no Colegiado de Gest√£o da Secretaria de Sa√ļde e, posteriormente, pelo Conselho de Sa√ļde do Distrito Federal. ‚ÄúN√≥s fizemos uma audi√™ncia p√ļblica, tratamos com o Minist√©rio P√ļblico, tratamos com o Controle Social, que √© o balizador das pol√≠ticas p√ļblicas, e propusemos a constru√ß√£o de uma tabela regionalizada, uma tabela em que os pre√ßos estivessem entre os valores da tabela do SUS e que fossem minimamente compat√≠veis com o restante do pa√≠s‚ÄĚ, detalha a secret√°ria Lucilene Flor√™ncio.

Incidência

O Distrito Federal registra anualmente cerca de 2.280 pessoas que se submetem a di√°lise, seja hemodi√°lise ou pelo m√©todo peritoneal. De acordo com o censo da Sociedade Brasileira de Nefrologia, por aqui s√£o 737 pacientes por milh√£o de habitantes com necessidade do procedimento, a quinta maior incid√™ncia no Brasil. As principais causas s√£o doen√ßas cr√īnicas, como hipertens√£o e diabetes, que impactam no funcionamento dos rins.

Sintomas como n√°usea, v√īmito, baixa apetite, per√≠odos de confus√£o mental e c√Ęimbras podem ser relacionados ao desequil√≠brio da ureia. Nestes casos, a porta de entrada √© uma das 175 unidades b√°sicas de sa√ļde (UBSs), onde √© poss√≠vel realizar verifica√ß√£o de press√£o arterial e glicemia, al√©m de ser avaliada a fun√ß√£o renal. De acordo com os resultados, o paciente √© encaminhado para uma consulta nefrol√≥gica. Somente em 2022, foram mais de 50 mil atendimentos com especialistas.

A m√©dica Lizandra Barbosa Carvalho, refer√™ncia t√©cnica distrital em nefrologia, destaca que pacientes com diabetes e hipertens√£o devem fazer acompanhamento para permitir a detec√ß√£o precoce de altera√ß√Ķes no quadro renal. Quem faz tratamento rotineiro com anti-inflamat√≥rios, adota uma dieta com maior ingest√£o de prote√≠na ou toma suplementa√ß√£o tamb√©m precisa ficar atento a sinais como espuma na urina. ‚ÄúQuando se tem algum sintoma de altera√ß√£o da fun√ß√£o renal, j√° √© significativo‚ÄĚ, explica.

Por outro lado, uma dieta equilibrada, a boa hidratação, a prática de exercício físico e o controle da hipertensão e da diabetes são caminhos para evitar descontroles na função renal.

*Com informa√ß√Ķes da Secretaria de Sa√ļde

você pode gostar

Deixe um coment√°rio

Portal de Notícias 

Saiu no DF, Saiu aqui.

Escolhas dos editores

Artigos Mais Recentes