segunda-feira, dezembro 11, 2023
In√≠cio ¬Ľ DF vai ganhar lei de incentivo ao esporte

DF vai ganhar lei de incentivo ao esporte

Ao CB.Poder, o deputado federal licenciado tamb√©m falou sobre a realiza√ß√£o da Maratona Bras√≠lia 2023, em parceria com o Correio, e a import√Ęncia para a economia local de trazer eventos esportivos para a capital, como os Jogos da Juventude

por Ricardo Souza
0 Coment√°rio

O Distrito Federal ter√° uma lei de incentivo ao esporte. A informa√ß√£o foi dada pelo secret√°rio de Esporte e Lazer, Julio Cesar Ribeiro, em entrevista ao CB.Poder ‚ÄĒ parceria entre Correio e TV Bras√≠lia. √Ä jornalista Samanta Sallum, ele disse que est√° em di√°logo com a pasta da Economia para definir quais impostos ter√£o redu√ß√£o para as empresas que apoiarem os atletas. Ap√≥s, o texto ser√°

enviado √† C√Ęmara Legislativa. Ribeiro falou ainda sobre a parceria com o Correio para a realiza√ß√£o da Maratona Bras√≠lia 2023, em comemora√ß√£o aos 63 anos da capital e do jornal. Outro tema abordado foi a import√Ęncia econ√īmica de trazer eventos esportivos para o Distrito Federal, entre eles, os Jogos da Juventude de 2025, cujas tratativas est√£o em andamento.

O que o senhor traz de novidade para essa gest√£o da secretaria de Esportes?

A gente chega motivado, porque trabalhamos muito pelo esporte, nesses √ļltimos quatro anos, e dentro das comiss√Ķes da c√Ęmara, principalmente, a do esporte. Conseguimos fazer grandes relacionamentos, com diversas confedera√ß√Ķes e um dos nossos grandes objetivos, e n√≥s j√° estamos fazendo isso, √© trazer eventos para a nossa cidade. (‚Ķ) Fui ao Rio de Janeiro e consegui trazer aqui os jogos escolares de atletismo, que v√£o ser realizados este m√™s, aqui em Bras√≠lia. Aconteceu a competi√ß√£o de patina√ß√£o e estamos trabalhando para trazer outros jogos. Estive em S√£o Paulo, estive no Comit√™ Paral√≠mpico Brasileiro para trazer tr√™s ou quatro eventos paraol√≠mpicos para a nossa cidade. Daqui a duas semanas, estou indo ao Rio de Janeiro, na Confedera√ß√£o Brasileira de V√īlei, para podermos trazer, em junho, um grande campeonato de voleibol. Enfim, acho que esses grandes eventos v√£o fazer com que Bras√≠lia seja conhecida como a capital do esporte. E, claro, outras tem√°ticas, como projetos de lei que a gente quer encaminhar para C√Ęmara Legislativa. Enfim, esporte √© tem√°tica que todos todos realmente gostam.

Temos uma coisa boa para anunciar para o anivers√°rio de Bras√≠lia ‚ÄĒ uma parceria do Correio com a Secretaria de Esporte, que √© a Maratona Bras√≠lia 2023, em 21 de abril. Bras√≠lia tamb√©m virou a capital das corridas, o brasiliense gosta de corrida de rua, gosta de maratona.

E como gosta! A Secretaria de Esporte ficou muito feliz com esse grande presente que o grupo Correio Braziliense traz para a nossa cidade. Como voc√™ bem disse, o brasiliense gosta demais de corridas. Nesse final de semana, tivemos duas em Bras√≠lia, e eu, na secretaria, vejo toda hora os projetos chegando, e percebo o quanto realmente as pessoas gostam de correr, de poder estar ali, naquele movimento. E, agora, o Correio, depois de 25 anos, traz de volta a maratona. √Č algo sensacional, as pessoas que est√£o em casa j√° podem come√ßar a se inscrever, e n√£o s√≥ para os 42 quil√īmetros, tamb√©m tem de 10 e de 5 quil√īmetros (www.centraldacorrida.com.br/maratona-brasilia-2023) ‚ÄĒ vai ter condi√ß√Ķes para todas as pessoas que queiram participar, al√©m da festa. Lembrando que vai ser no dia do anivers√°rio de Bras√≠lia que estar√° acontecendo. Inclusive, √© o anivers√°rio tamb√©m do Correio Braziliense, nesta data. N√≥s estamos felizes. A Secretaria de Esporte est√° junto com o Correio e, com certeza, a gente vai ali participar. Eu mesmo vou correr, nem que seja um pouquinho.

O senhor também está lutando para que os jogos da juventude se realizem em Brasília, em 2025? Este ano vai ser em Ribeirão Preto. Existe também essa tratativa?

Estive no Rio de Janeiro, fui convidado para fazer uma das premia√ß√Ķes ‚ÄĒ dos melhores atletas do ano ‚ÄĒ e, l√°, conversando com o Paulo Wanderley e com Marcos La Porta (presidente e vice-presidente do Comit√™ Ol√≠mpico do Brasil, respectivamente), a gente viu a possibilidade de Bras√≠lia se candidatar para ser a sede dos Jogos da Juventude, em 2025. Esse ano, ser√° em Ribeir√£o Preto; no ano que vem, em Blumenau; e 2025 est√° em aberto. Saiu o edital em 28 de fevereiro e nossa equipe da Secretaria de Esportes est√° trabalhando para que a gente possa n√£o s√≥ se candidatar, mas como ganhar e trazer. At√© porque eu entendo que em Bras√≠lia n√≥s temos espa√ßos esportivos de sobra, que podem realizar todas as modalidades que os jogos da juventude necessitam. E a gente v√™ a√≠ um problema que est√° acontecendo nos jogos da juventude deste ano ‚ÄĒ retiraram o futsal e isso tamb√©m tem sido uma pauta nossa em conversa com o Minist√©rio do Esporte e com a secretaria nacional da possibilidade de trazer o futsal tamb√©m para que possamos fazer aqui em Bras√≠lia, j√° que n√£o ser√° realizado em Ribeir√£o Preto.

Por que é importante uma cidade sediar eventos esportivos?

Primeiramente, porque deixa sempre um legado para a cidade. E a gente lembra das Olimp√≠adas do Rio de Janeiro, pois ficou l√° o complexo ol√≠mpico. Ent√£o, geralmente voc√™ acaba sempre construindo algo novo para poder receber esses jogos. Assim, acho que equipamentos n√£o podem ser entregues no estado e, sem d√ļvida alguma, acho que o principal √© fortalecer a economia, porque √© a economia que acaba ganhando muito. Um exemplo √© o dos Jogos Universit√°rios, que aconteceram aqui durante dois anos. Inclusive, fui um dos que conversou com o presidente da Confedera√ß√£o Brasileira do Desporto Universit√°rio (CBDU), Luciano Cabral, para que pudessem ser realizados, em 2021 e em 2022, aqui em Bras√≠lia, e ele mostrou os resultados. Em 2021, foram R$ 20 milh√Ķes que movimentaram a economia no DF. Em 2022, foram quase R$ 30 milh√Ķes. Veja que √© gera√ß√£o de emprego e os hot√©is tendo ocupa√ß√£o, sem dizer que Bras√≠lia fique mais conhecida no cen√°rio mundial do esporte.

O senhor falou de alguns projetos de lei que a secretaria est√° preparando para enviar √† C√Ęmara Legislativa. Um deles seria algo semelhante √† lei de incentivo √† cultura, seria uma lei de incentivo ao esporte?

A nossa ideia √© que, em 2023, tr√™s projetos sejam encaminhados √† C√Ęmara Legislativa. O primeiro √© a equipara√ß√£o do bolsa atleta. Hoje, n√≥s temos o bolsa atleta ol√≠mpico e paral√≠mpico. Por√©m, o paral√≠mpico tem uma defasagem de valores. Ent√£o, a gente quer colocar todos no mesmo n√≠vel. O segundo projeto √© o bolsa t√©cnico ‚ÄĒ a gente entende que n√£o s√≥ o atleta deve receber um incentivo do Estado, mas tamb√©m aqueles que est√£o ali, prestam seus servi√ßos, orientando, que s√£o os t√©cnicos. (‚Ķ) Mas o principal √© a lei de incentivo ao esporte. Nesses quatro anos, presenciei de perto o quanto isso ajuda os nossos atletas, que √© ter condi√ß√Ķes de buscar recursos com empresas que, automaticamente, poder√£o deduzir dos seus impostos que s√£o pagos √† Uni√£o. Ent√£o, pensei por que n√£o criar aqui, porque o DF hoje tem o da cultura. Quando fui deputado distrital criei o projeto, foi at√© aprovado na c√Ęmara, mas, infelizmente, por conta de v√≠cio de iniciativa, foi vetado. Ent√£o, vou come√ßar certo, vou mandar da Secretaria de Esporte. Estou em negocia√ß√£o com a Secretaria de Economia e ser√° deduzido do ISS e do ICMS. √Č isso que n√≥s estamos agora conversando com a Secretaria de Economia, para que a gente possa estudar, ver qual dos impostos podemos utilizar, e isso vai fomentar mais ainda o nosso esporte. Porque a gente sempre ouve dizer o seguinte, o fulano era um excelente atleta, mas foi para S√£o Paulo porque l√° tem mais condi√ß√Ķes. Ah, n√£o. Essa foi para Minas Gerais, foi para o Rio de Janeiro. Precisamos criar mecanismos para que os grandes atletas permane√ßam aqui.

Quantos nomes importantes j√° sa√≠ram daqui…

Se a gente colocar no papel, s√£o muitos. Inclusive, ontem (domingo, 5/3), um dos eventos que n√≥s realizamos foi a marcha atl√©tica, que aconteceu no Eix√£o. O Caio Sena, que √© um grande atleta daqui ‚ÄĒ foi para as Olimp√≠adas de 2016, de 2020 ‚ÄĒ estava participando e foi campe√£o da nossa corrida. N√≥s precisamos fazer isso, precisamos incentivar e, com certeza, a lei de incentivo ao esporte ser√° uma grande sacada. O governador Ibaneis Rocha e a governadora em exerc√≠cio Celina Le√£o sempre t√™m pedido para n√≥s criarmos projetos que venham ajudar a popula√ß√£o, de um modo geral.

O senhor esteve com a ministra do esporte, Ana Moser, na semana passada, no Centro Ol√≠mpico da Estrutural, que √© um projeto do GDF. Como √© que foi esse encontro? Como est√° a expans√£o dos centros ol√≠mpicos?

Hoje, temos doze centros ol√≠mpicos espalhados, sendo que dois est√£o em Ceil√Ęndia, que √© a maior cidade do DF. Por centro ol√≠mpico, a m√©dia √© de 4 a 5 mil atendimentos ‚ÄĒ s√£o quase 70 mil pessoas que acabam passando por eles, que t√™m diversas modalidades, desde a piscina, como as quadras, os campos sint√©ticos, aulas de refor√ßo. A gente faz uma parceria com a Secretaria de Educa√ß√£o no contrafluxo e eles utilizam tamb√©m os centros ol√≠mpicos. Hoje, s√£o refer√™ncia em todo o pa√≠s. Conversando com a ministra Ana Moser, que conhe√ßo h√° um bom tempo ‚ÄĒ ela sempre estava nas comiss√Ķes da C√Ęmara, principalmente a do Esporte ‚ÄĒ a gente fez o convite para ela ver de perto como √© o trabalho realizado. Uma das tem√°ticas do governo federal √© trabalhar com o social. E √© isso que o centro ol√≠mpico faz, trabalha com alto rendimento, sem d√ļvida. Temos o projeto futuro campe√£o ‚ÄĒ de diversas modalidades ‚ÄĒ dentro dos centros ol√≠mpicos, mas tamb√©m trabalhamos com o social. E fui mostrar para a ministra esse trabalho e ela ficou encantada, disse que quer ajudar para que isso possa aumentar. Est√° marcado de, nos pr√≥ximos dias, a gente sentar l√° no minist√©rio e dialogar sobre esse tema.

Entrando um pouco mais na pol√≠tica. Como o senhor v√™ o desempenho do seu partido, Republicanos, que teve uma presen√ßa forte na bancada do DF, com tr√™s deputados eleitos e uma senadora, Damares Alves, ocupando a √ļnica vaga que havia para o DF no Senado?

Desde a chegada do nosso presidente, Marcos Pereira, em 2011, o Republicanos est√° com uma nova cara, uma nova identidade. A forma como ele implementou os trabalhos fez com que o partido, elei√ß√£o a elei√ß√£o, viesse crescendo. Lembrando que o partido chegou a ter oito deputados federais, apenas, e, agora, na √ļltima elei√ß√£o, estamos com quarenta e tr√™s deputados federais espalhados por todo o Brasil. (‚Ķ) Conseguimos eleger dois senadores a n√≠vel nacional. Um foi aqui em Bras√≠lia a nossa querid√≠ssima Damares Alves, e ex-vice-presidente, general Mour√£o, no Rio Grande do Sul. T√≠nhamos um senador e, com a chegada desses dois, n√≥s temos tr√™s. E nessa quest√£o da janela partid√°ria, est√° vindo mais um, estamos ficando com quatro senadores.

Secretário, o Republicanos foi base, foi aliado do presidente Jair Bolsonaro. Como o partido está se posicionando em relação ao governo Lula?

Desde o ano passado, quando nós tivemos o resultado da eleição do presidente Lula, o nosso presidente nacional, Marcos Pereira, fez questão de soltar uma nota dizendo que, a partir daquele momento, estaríamos vivendo na independência. Desde lá, não mudou nada, continuamos com o nosso posicionamento de independência a esse governo. Não somos nem situação e nem oposição. Estamos aqui no meio, até porque entendemos que há temas que são muito importantes para a população, Bolsa Família, por exemplo, quantas pessoas dependem desse recurso? Então, se a gente for oposição, tem que votar contra, e não é isso, nós precisamos é olhar o que é melhor para o nosso país. E nem pelo fato da gente votar a favor significa que somos situação, que a gente é aliado.

A partir do momento em que se avalia que a matéria é de interesse do país, o partido poderá votar a favor dos projetos do governo Lula?

Com certeza. A gente teve um exemplo, no ano passado, a questão da redução do ICMS, era bom para a população e a gente estava apoiando. O PT sempre foi oposição a Bolsonaro. Mesmo sabendo que aquele projeto era bom para a população, mas o fato deles serem oposição fez com que todos votassem contra a redução do ICMS.

Qual é a sua avaliação sobre os atos que ocorreram em 8 de janeiro e os efeitos disso na política de Brasília no governo de Brasília?

A gente lamenta os fatos ocorridos em 8 de janeiro. Quem estava em casa viu aquelas imagens e ficou realmente preocupado com aquela situação, não apoiamos isso. Ficamos muito chateados pelo fato de o governador Ibaneis Rocha ter sido afastado, a gente não entende porque, até agora, não foi dada uma decisão para que ele pudesse voltar. Nós estamos trabalhando para que realmente isso possa acontecer logo, até porque Brasília precisa voltar a andar. Então, assim, é lamentável a postura que aconteceu e nós esperamos que a volta do governador Ibaneis seja o mais rápido possível.

Fonte: Correio Braziliense

*Est√°gi√°rio sob a supervis√£o de Malcia Afonso

você pode gostar

Deixe um coment√°rio

Portal de Notícias 

Saiu no DF, Saiu aqui.

Escolhas dos editores

Artigos Mais Recentes