domingo, novembro 26, 2023
In√≠cio ¬Ľ PMDF √© pioneira no Brasil em m√©todo de resgate de v√≠timas de soterramento

PMDF é pioneira no Brasil em método de resgate de vítimas de soterramento

por Ayrton Lemos
0 Coment√°rio

Subtenente da corporação é o primeiro brasileiro a ser certificado no Método Arcón, que prioriza autonomia e concentração de cães no salvamento de pessoas soterradas.

A Pol√≠cia Militar do Distrito Federal (PMDF) foi a primeira corpora√ß√£o do Brasil a conquistar um certificado no M√©todo Arc√≥n ‚Äď sistema de treinamento de c√£es para o salvamento humano. H√° mais de uma d√©cada estudando as t√©cnicas, o subtenente Ademar Barros concluiu o curso de forma√ß√£o neste m√™s, no Equador. Em breve, voltar√° ao pa√≠s para repassar o conhecimento aos colegas do DF e de outras unidades da Federa√ß√£o.

Com experi√™ncia em adestramento desde 1995, o subtenente Barros (√† direita) faz a PMDF ser a primeira corpora√ß√£o do Brasil a ter reconhecimento do M√©todo Arc√≥n, desenvolvido  pelo bombeiro espanhol Jaime Parejo (√† esquerda)| Fotos: Arquivo pessoal

Barros trabalha com adestramento desde 1995. Em 25 anos de servi√ßo no Batalh√£o de Policiamento com C√£es (BPC√£es), j√° formou mais de 100 adestradores. Os profissionais fazem parte de corpora√ß√Ķes militares nacionais que envolvem bombeiros, For√ßas Armadas e Pol√≠cia Rodovi√°ria Federal.

Em 2010, o subtenente participou de uma forma√ß√£o para condu√ß√£o de c√£es no M√©todo Arc√≥n, na Col√īmbia. Dois anos depois, esteve no Equador para estudar mais sobre o tema e retornou ao pa√≠s neste ano, para a forma√ß√£o como instrutor. Com o certificado, Barros est√° apto a preparar novos c√£es e condutores utilizando a metodologia.

Capacidade ampliada

‚ÄúPara o Brasil, ter um instrutor certificado significa aumentar a capacidade de salvamento de vidas, da detec√ß√£o de explosivos por c√£es e de restos humanos. Fui enviado para absorver o conhecimento e poder repassar a todos que procurarem o batalh√£o‚ÄĚ, ressalta Barros. ‚Äú√Č uma satisfa√ß√£o imensa levar a t√©cnica para o Brasil. Agrade√ßo demais √† PMDF por acreditar em mim e proporcionar esta oportunidade de capacita√ß√£o.‚ÄĚ.

‚ÄúS√£o sete t√©cnicas condutuais, em que o c√£o n√£o tem apoio do adestrador – ele trabalha s√≥, e com isso consegue desenvolver a pr√≥pria estrat√©gia de busca, blindado a despeito dos extratores visuais e odor√≠feros‚ÄĚSubtenente Ademar Barros

A metodologia estabelece que os cães devem trabalhar sozinhos nas buscas, para explorar ao máximo a capacidade olfativa e psíquica. Desta forma, são otimizados os níveis de motivação, concentração e autonomia. O sistema foi desenvolvido pelo bombeiro espanhol Jaime Parejo, em 1994, após 12 anos de estudo, e recebeu o nome do cão que o acompanhava nos resgates.

‚ÄúS√£o sete t√©cnicas condutuais, em que o c√£o n√£o tem apoio do adestrador ‚Äď ele trabalha s√≥, e com isso consegue desenvolver a pr√≥pria estrat√©gia de busca, blindado a despeito dos extratores visuais e odor√≠feros‚ÄĚ, explica Barros.

O segundo-tenente Luiz Roberto Albuquerque, comandante do 4¬ļ Pelot√£o do BPC√£es, explica que o conhecimento pode ser aplicado em casos de desastres naturais ou decorrentes de a√ß√Ķes humanas. Cita, como exemplo, as trag√©dias registradas em Brumadinho (Minas Gerais) e os terremotos que atingiram a S√≠ria e a Turquia.

Metodologia estabelece que os cães devem trabalhar sozinhos nas buscas, para explorar ao máximo a capacidade olfativa e psíquica

‚ÄúServe para salvar vidas em casos como esses, mas tamb√©m pode ser aplicado na detec√ß√£o de explosivos e narc√≥ticos, tendo em vista que explora o olfato e capacidade ps√≠quica do c√£o‚ÄĚ, pontua Albuquerque. ‚ÄúA corpora√ß√£o est√° orgulhosa pela conquista do subtenente, e esperamos capacitar o maior n√ļmero poss√≠vel de profissionais.‚ÄĚ

por Agência Brasília

você pode gostar

Deixe um coment√°rio

Portal de Notícias 

Saiu no DF, Saiu aqui.

Escolhas dos editores

Artigos Mais Recentes